quarta-feira, 19 de junho de 2013

Fumetti: Lilith: La Signora Dei Giochi; Brendon: Lacrima di Tenebra.


Luca Enoch (2011). Lilith 07: La Signora Dei Giochi. Milão: Sergio Bonelli Editore S.P.A..

As aventuras de Lilith através do tempo levam-na à antiga Roma. No reinado do imperador Cómodo a heroína tem de enfrentar os perigos da arena, impor-se como gladiadora e salvar o imperador de uma intriga palaciana. Este volume é notável pelo esforço de caracterização minuciosa da Roma antiga, dos seus habitantes e costumes.


Claudio Chiaverotti, Giuseppe Franzella (1998). Brendon 02: Lacrima di Tenebra. Milão: Sergio Bonelli Editore S.P.A..

O primeiro volume de Brendon surpreendeu-me pela criatividade, solidez do mundo ficcional e precisão no traço de paisagens pós-apocalípticas. Cheguei a este com esperanças de uma continuidade narrativa e estilística, mas as aventuras do personagem neste volume são previsíveis, banais e decepcionantes. Envolve uma paixão, uma bela assassina com uma estranha obsessão e um alquimista especializado em mandar assassinar os seus colegas de profissão. O estilo gráfico, apesar de bem conseguido e preciso, resvala para o medievalismo puro. Mesmo sabendo da estranha premissa do fumetti, é demasiado incrível ver catedrais medievais no que supostamente é um futuro devastado pós-apocalíptico.

Sem comentários: