quarta-feira, 15 de maio de 2013

Interzone #245



A edição de março e abril de 2013 da Interzone tem algo de assimétrico, com dois contos excelentes e um cuja opacidade torna estranha a inclusão na revista. Nas críticas cinematográficas e literárias encontra-se o melhor elogio dúbio quando a resenha a Redshirts sublinha que Scalzi "can do bad writing very well". E confesso uma progressiva adição à Thog's Masterclass da coluna de David Langford.

The Animator: um conto extraordinariamente visual. Chris Butler mergulha-nos numa realidade alternativa inspirada na Paris de fim de século. O toque de estranheza no ambiente arcaico é dado pelo pormenor da comunicação através de feromonas, que dá toda uma nova dimensão à sociedade humana. As cidades vivem numa ordem controlada por ditadores cujas feromonas se sobrepõem às das restantes pessoas. Mas há limites para a persuasão. Quando um jovem engenhoso empregado por um relojoeiro começa a fazer experiências com máquinas de animação percebe que a emoção concentrada dos espectadores pode alterar profundamente o estado das coisas. Impotente perante os poderosos, acaba por ter de partir para o exílio, viajando entre as cidades com o seu espectáculo ambulante de animação que desperta emoções perigosas nos espectadores.

Hypermnemonic: Melanie Tem assina um conto incompreensível que parece girar à volta do biohacking e experimentação com biologia humana sintética. Escrito num estilo denso e sem clareza, não consegue traçar um percurso narrativo que permita ao leitor perceber a história.

The International Studbook of the Giant Panda: Carlos Hernandez assina um conto divertido sobre bestialidade robotizada. Num futuro próximo, um grupo de cientistas descobre a melhor forma para estimular sexualmente os pandas para que procriem e evitem a extinção: robots realistas controlados por humanos imersos em realidade virtual avançada que simula tão bem os sentidos dos animais que o risco de esquecer a personalidade humana é muito grande.

The Last Illusion: Magia ancestral e história do século XX colidem neste conto de uma autora lituana. Durante os primeiros tempos da ocupação soviética um mago tenta proteger a sua filha dos soldados através de uma ilusão elaborada que dita a sua prisão e envio para um destino incerto. Escrito de forma fortemente poética por Damien Grintalis.

The Face Tree: Aparentemente esta é uma história de redenção e encontro do amor por um homem solitário e descrente do mundo, mas com alguns parágrafos bem escolhidos Anthony Mann leva-nos ao campo do fantástico. Um cruzamento casual com uma mulher intrigante numa floresta perto de Oxford muda a vida a um poeta que sobrevive como guia turístico. O homem apaixonado acaba por descobrir que os braços da mulher que gosta de árvores escondem um destino que aparentemente terrível acaba por ser libertador.

Sem comentários: