quinta-feira, 16 de maio de 2013

Greystorm #1: Grandi Progetti




Antonio Serra, Simona Denna, Francesca Palomba (2009). Greystorm #1: Grandi Progetti. Milão: Sergio Bonelli Editore S.P.A..

Uma interessante surpresa vinda do fumetti italiano. Fortemente inspirada em Júlio Verne, a série Greystorm recupera a iconografia futurista do final do século XIX. A sua introdução deslumbra, com um revisitar das ilustrações de Robida para mostrar visões de um futuro utópico. Quase me atreveria a inserir este fumetti na estética steampunk, uma vez que partilha dos seus elementos icónicos e narrativos, mas os autores demarcam-se do género em termos narrativos e sublinham Verne como grande fonte de inspiração, embora concedam similaridades estéticas.

Neste primeiro volume somos apresentados às principais personagens. Greystorm é um jovem estudante engenhoso, que se dedica às suas invenções com uma monomania autística. Jason é seu amigo, companheiro de colégio e interlocutor, homem terra a terra que é atraído pela imaginação de Greystorm. Para completar o triângulo temos a jovem camponesa Elizabeth, atraída por Greystorm mas por quem Jason se apaixona. Nesta sua primeira aventura Greystorm dedica-se a desenvolver uma máquina voadora, útil para salvar Elizabeth das garras de um prisioneiro foragido mas que o deixa marcado para a vida num acidente quase fatal. As verdadeiras aventuras iniciam-se no final do livro. Homens feitos, Greystorm e Jason reencontram-se no funeral do pai deste, onde se descobre que também Elizabeth já é falecida. Reunidos, o excêntrico inventor e o estável mas solitário homem normal preparam-se para aventuras à descoberta dos gelos inóspitos da Antártida. Mas essas aventuras são para os próximos volumes. Por enquanto ficamo-nos por uma intrigante introdução, que nos leva aos sonhos retro-futuristas de um final de século que sonhava projectar-se numa utopia distante.

Sem comentários: