terça-feira, 7 de maio de 2013

Farewell, Mr. Harryhausen.


Outro dos grandes que se foi. O falecimento de Ray Harryhausen toca-me particularmente porque desde que descobri o seu trabalho que fiquei fã incondicional. A mestria, delicadeza e imaginação que colocava nos efeitos de stop motion em que se especializou cativaram gerações de fãs de ficção científica e fantástico, bem como conhecedores das técnicas de efeitos especiais. No meu caso, para além do fascínio e do deleite visual dos seus filmes que ainda hoje surpreendem pela qualidade dos efeitos, ainda posso assinalar a sua influência nas minhas práticas lectivas. Antes de me dedicar ao 3D com os alunos mexi bastante com stop motion. As criaturas de Harryhausen faziam parte da bagagem visual que utilizava para inspirar as crianças e o seu foi trabalho uma fonte de inspiração pessoal, apesar de nunca ter passado de experiências com suportes bi-dimensionais.

Ray Harryhausen legou-nos um enorme deleite por criaturas míticas animadas, o gosto pelos monstros no celulóide, o brilho da cor do cinema e o deslumbre pela concretização mecânica dos voos de imaginação. Em memória, deixo aqui uma imagem da minha cena favorita de The Golden Voyage of Sinbad, quando os heróis estão face a face num duelo com uma mortífera estátua de Kali. Farewell, Mr. Harryhausen.

Sem comentários: