sexta-feira, 19 de abril de 2013

Comics


2000AD #1828: Não estão a ser muito interessantes as correntes aventuras de Dandridge, fantasma de um dandy vitoriano à solta num mundo onde os espíritos coexistem com a humanidade. Mas esta ideia de um cientista louco e mercenário a contrato que usa cassetes betamax enfiadas na caixa craniana para alternar os discursos ameaçadores é muito destravada numa boa maneira. Traz à memóra Videodrome, esse filme marcante de Cronenberg. Para os leitores menos apreciadores de subtilezas, o nome do personagem é Max Beta. Perceberam?


DC Universe Presents #19: Mais um título que chega ao fim. A DCU Presents prometia reavivar antigos personagens mas raramente se destacou por um alinhamento que ultrapassasse o banal. Houve alguns momentos interessantes com o reavivar de Challengers of the Unknown, GI Combat ou Vandal Savage, mas a revista nunca se atreveu a passar os limites do esperado. Para o seu final traz-nos um novo personagem,  Beowulf, curiosa mistura de tecnologia, magia e futuro pós-apocalíptico que se começou a estrear nas páginas de Sword of Sorcery. Somos levados a um futuro medievalista, que replica a ambiência da mitografia céltica e viking num mundo que esqueceu o conhecimento e onde a tecnologia avançada é considerada magia. A premissa é interessante, particularmente num comic de massas, mas estamos a falar da DC. Vai ter alguns momentos interessantes mas a personagem está condenada às tesouras da mediocridade.


Hoax Hunters #09: Partindo de uma premissa interessante mas com argumentos formulaicos, este título da Image voa debaixo do radar. Hoax Hunters mostra-nos as aventuras de estrelas de um programa televisivo dedicado a investigar e desacreditar fenómenos paranormais, entre as quais se contam um cadáver imortal e um fato de astronauta que encerra um bando de corvos. Parecem cépticos, mas na verdade a equipa procura usar as câmaras televisivas para ocultar do grande público a emergência de fenómenos assustadores. É o velho truque de esconder à vista desarmada aquilo que se quer ocultar. Este número quebrou o ritmo de normalidade da série com uma história curta onde os temas icónicos que são casas assombradas, espíritos vingativos e episódios de séries televisivas colidem com muito humor.


Theremin #01: E se... ao descobrir as vibrações magnéticas que criaram o instrumento homónimo de sonoridade única, Leon Theremin também tivesse descoberto uma forma de viajar no tempo e se visse obrigado a uma carreira de aventuras a eliminar ameaças ao continuum temporal? É esta a premissa deste novo título da interessante Monkeybrain, editora inovadora de comics digitais. Confesso. Como resistir à mistura do tema da FC que é a viagem no tempo e suas tropelias e a um estilo visual retro que homenageia os clássicos do género nos anos 50 e 60? Não se resiste. Rayguns e theremins ficam muito bem juntos, essa é que é essa.

Sem comentários: