quinta-feira, 14 de março de 2013

The Arctic Marauder



Jacques Tardi (2011). The Arctic Marauder. Seattle: Fantagraphics Books.

Neste brilhante livro de Tardi tudo, desde a história à ilustração, funciona como uma profunda e respeitosa homenagem ao género de romance de aventuras com invenções mecânicas, percursor do que hoje chamamos ficção científica.


Uma antevisão dos prazeres que estão para vir...


A ilustração do século XIX perfeitamente homenageada.

Naufrágios misteriosos e um falecimento igualmente obscuro em Paris levam um jovem a descobrir o tenebroso segredo que se oculta dentro de um iceberg que cruza os mares do norte: uma instalação científica onde dois génios científicos unem esforços para piratear as embarcações que por azar se lhes atrevesse no caminho enquanto envidam esforços para dominar a humanidade com as suas máquinas de guerra científicas. Se um espírito de curiosidade bondosa anima o jovem, ao contactar com estes cientistas depressa se deixa levar pelo lado obscuro e se torna um jovem aprendiz. Os esforços de uma agente secreta trazem as jóias da marinha de guerra francesa, que numa batalha decisiva destroem o iceberg. Mas os nossos perigosos cientistas fogem num aparelho voador, refugiando-se numa base secreta nas profundezas das selvas para continuar a sua luta pelo domínio do mundo.


No interior do iceberg. Notam a referência a Metropolis de Fritz Lang?


Intrépidos exploradores/piratas submarinos.


A fuga final na fantástica máquina voadora.

Tardi deixa traços literários que recordam os romances de aventuras de Júlio Verne e as estruturas narrativas do romance em folhetim do século XIX. Mas não termina aqui a vénia ao fin de siècle. Conhecedores da ilustração da época, em gravuras detalhadas onde o traço e as sombras criadas por linhas hachuradas abriam na imaginação os espaços visuais que posteriormente a fotografia veio preencher vão ficar surpresos pela forma como este autor replica na prancha de banda desenhada os traços estilísticos, apesar de manter o seu estilo individual. The Ice Marauder é um daqueles raros livros que vale pelo seu valor intríseco de divertida obra de ficção e pela profunda vénia aos antepassados do género no final do século XIX.

Sem comentários: