terça-feira, 26 de março de 2013

Comics: Neuro Jack, Chester 5000


James Chambers, Erika Taguchi (1996). Neuro-Jack. Boca Raton: Big Entertainment.

Neuro-Jack #01: uma bizarra curiosidade de 1996, a aproveitar a onda cyberpunk dos anos 90. Um comic sobre um herói electrónico desincorporado que luta contra ameaças alienígenas numa vasta internet galáctica. Estranha mistura de Neuromancer com Tron. O herói, como não podia deixar de ser, usa óculos escuros. Mirrorshades são do mais cyberpunk que há em acessórios. Para sublinhar a novidade digital, a ilustração foi criada por computador (à época, algo de raro e experimental) numa estética que mistura a visualizações ciberespaciais de Johnny Mnemonic com o estilo de jogos como o Doom. Não é particularmente interessante mais vale como exemplo de um aproveitamento da estética cyberpunk por editores de comics num registo exploitaition. Não passou da primeira edição, o que não surpreende pelo argumento previsível e infantil.

Jessica Fink (2011). Chester 5000. Marietta: Top Shelf.

Steampunk colide com banda desenhada erótica nesta história sobre um dotado robot vitoriano criado para satisfazer os desejos luxurientos da jovem esposa de um cientista mais apaixonado pelos prazeres do intelecto do que os da carne. Soa exactamente ao que é, e não passa de uma justaposição de vinhetas eróticas com um homem mecânico com próteses tecnológicas úteis em situações muito específicas. Um tédio
previsível.

Sem comentários: