quarta-feira, 13 de março de 2013

Comics: Captain Gravity e War Is Hell


Josh Dysart, Sal Velluto (2006). Captain Gravity and the Power of the Vril. Houston: Penny Farthing Press.

Intrigante e delicioso comic em tom retro, que remistura uma impressionante quantidade de enredos de histórias pulp. As figuras fantásticas das séries fílmicas de ficção científica dos anos 30 integram-se com ameaças nazis, segredos ocultos, civilizações perdidas, mitos da atlântida e intrigas de espionagem. Energizado por um misterioso artefacto descoberto em ruínas pré-colombianas, o curioso Captain Gravity tem de resgatar a mulher que ama das garras de feiticeiros nazis que utilizam os recursos do terceiro Reich para localizar o segredo da energia Vril, que lhes dará a chave da dominação planetária. Divertido, mas similar a tantas outras histórias do género. O traço homenageia o espírito da série, com particular destaque ao personagem principal com a sua máscara de barroco industrial a remeter para os excessos decorativos do Flash Gordon dos anos 30. Um ponto de interesse é a máscara do herói ocultar um afro-americano, o que permite algumas sub-narrativas tangenciais sobre racismos e injustiças, mas não são levadas muito longe. Previsível, mas não deixa de ser uma leitura divertida.



Garth Ennis, Howard Chaykin (2008). War is Hell: The First Flight of the Phantom Eagle. Nova Iorque: Marvel.

Uma história de idealismos falhados nos céus sobre as trincheiras assassinas da I Guerra. Ennis é um mestre a contar histórias de guerra que apesar de ficcionais são fiéis à realidade histórica e não desilude neste conto sobre um piloto idealista que colide com a sórdida realidade da luta nos ares. A carnificina violenta intersecta-se com a visão do piloto enquanto cavaleiro dos ares, e o que resta é a necessidade de sobrevivência. Sem honra ou valor, apenas mais um dia aos comandos da aeronave. O traço explosivo de Chaykin dá à história um cunho irreverente que contrasta com a tristeza perpassada pelo argumento. Para os fás da estética das aeronaves, o veterano ilustrador consegue brilhantes cenas de combate aéreo e alguma fidelidade visual às máquinas da época.

Sem comentários: