domingo, 24 de fevereiro de 2013

Violações ocultas


Partilhei no grupo do Learning Creative Learning a que pertenço uma reflexão sobre os temas em discussão. Como o texto tinha saído em português, traduzi (bendito Google Translate, pelo menos para facilitar a tarefa) e colei como mensagem no Google+.  E fui surpreendido por esta pérola de cretinice. Primeiro, fiquei sem perceber precisamente o que é que o meu post violava. Ter seis parágrafos de texto? Ter links (para o 3D Alpha, papers no MIT e artigos no BoingBoing? Segundo: spam? Conteúdo promocional? Repetitivo? Definido por um algoritmo? Terceiro... WTF, Google? Pré-identificação de conteúdo potencialmente malicioso? Do tipo tome lá um par de estalos, sei que não fez nada, ainda, mas poderá fazer? Por outro lado... G+, certo? Quem é que usa essa rede social com números inflados de utilizadores cooptados dos outros serviços Google?

Para vos entediar ainda mais partilho o textinho: As if they read but not write.

Sem comentários: