terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Testes nucleares


Boa imagem. Dá um toque decididamente apocalíptico à notícia da renúncia do papa Bento XVI ao seu cargo vitalício. E enquanto o mundo debate as implicações do terramoto político que abala as cúpulas de uma instituição de relevância diminuta no mundo contemporâneo (à excepção do trabalho meritório em prol do humanismo elementar desenvolvido pelas suas bases), um terramoto mais sério foi detectado pelos sensores da USGS numa região remota da Coreia do Norte, esse país bizarro e fundamentalmente similar ao Vaticano apesar de se situarem nos extremos do espectro ideológico. Parece que para recordar ao mundo que o reino eremita comunista hereditário que fica ao norte de Gangnam Syle e dos smartphones da Samsung ainda vai existindo os seus responsáveis executaram um teste nuclear subterrâneo. Uma excelente ideia para agitar as águas numa região mais volátil do que se pensa, com a China a flexionar músculos navais e a deixar nervosos o Japão, as Filipinas e o Vietnam por causa de uns rochedos no mar que ocultam reservas petrolíferas. Este carnaval está a ser deveras apocalíptico.

Sem comentários: