sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Internet ecosystem


"I’ve been immersed in the Internet ecosystem for almost two decades now, and the surge of information has been increasing exponentially throughout that time, a real firehose of data, much of it unstructured. I devour more new facts in a day than my ancestors ate in a lifetime. There’s a real richness to it, but there’s also powerful existential indigestion. And when you swallow the world’s information, there are inevitable toxins, so many raw, wild, and often conflicting chunks. 

In the 21st century, with so much knowledge created every day, hour, minute, second, we have many sources of confusion: new studies reverse the findings of older studies, new interpretations of facts radically change perspectives, there’s a real crisis of authority, a question whether we know what we know. 

I find myself questioning everything I read, hear - even what I see with my own eyeballs... "

Bruce Sterling a definir com uma impressionante exactidão a explosão cognitiva da internet nas salvas de abertura do diálogo State of the World 2013 com Jon Lebkowsky. Vale a pena ler. É uma conversa lúcida entre vozes que têm o dedo no pulso na modernidade contemporânea e a capacidade de interpretar e antever as tendências que modelam o mundo que nos rodeia. Entre outras ideias interessantes, a deselegância chinesa que impede uma maior influência global, os encantos de Zagreb ou como não é preciso competir com Londres, Paris ou Nova Iorque para ser uma cidade interessante, o momento Coreano (como o Japão nos anos 80...), a sofisticação progressiva de Bollywood, a evolução do poder suave turco e o domínio do mundo digital pelo que Sterling apelida de stacks, as grandes empresas do mundo tecnológico que controlam fluxos de informação ou constroem os equipamentos para consumo de informação mas cuja enorme influência económica e conceptual não se traduz em acções concretas sobre plataformas tradicionais. Talvez por falta de consciência da importância de influenciar decisões políticas, ou por um espírito de reconhecimento de inutilidade das instituições tradicionais num mundo digitalizado. Para mim, ligado à tecnologia e à educação por gosto e profissão, esta leitura vale logo pelos parágrafos que cito no início deste post. A internet representa uma explosão cognitiva ímpar na história da humanidade e Sterling sublinha a incomensurável vastidão de conhecimento produzida. Note-se que não fala da qualidade mas da pertinência desse conhecimento, da explosão de ideias e da necessidade de adaptação a este realmente admirável mundo novo.

The Well: State of the World 2013: Bruce Sterling and Jon Lebkowsky

Sem comentários: