quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Interzone #242


Uma sólida edição desta revista, com uma excelente entrevista a David Brin sobre os temas subjacentes ao romance Existence. Em termos de ficção, a Interzone arranca de forma pouco promissora com Wonder, uma história suave que revisita os lugares comuns sobre xenofobia com o artifício de alienígenas abandonados na Terra que são ostracizados pela sua diferença. The Message de Ken Liu surpreende. A narrativa sobre a relação entre um pai distante e a filha que lhe é entregue após a morte da mãe decorre sob um cenário de exploração xeno-arqueológica. Os dramas familiares desenrolam-se durante a exploração de labirínticas ruínas num planeta sem vida, um sinal dado à longa posteridade da existência de resíduos radioactivos. Confesso que fiquei intrigado com a solidez desta história.

Passei boa parte da leitura de Needlepoint de Priya Sharma a tentar perceber que diabos fazia uma história sobre castelos, princesas, aias infelizes e intrigas palacianas a fazer numa revista de ficção científica. O mundo vagamente inspirado na Inglaterra isabelina prometia maravilhas de fantástico com relatos de criaturas estranhas em terras exóticas de além mar. Mas a escritora não seguiu esse caminho. No final do conto transforma-o em poucos parágrafos numa narrativa cruel de fantasmagoria. Surpreendente.

A FC hard está representada com o conto Beyond The Light Cone de C. W. Johnson. Num futuro não muito distante, as colónias humanas dispersas pela vastidão relativística são interligadas por uma rede de naves superlumínicas cujos tripulantes são condenados a uma eterna deriva galáctica para além do horizonte de acontecimentos. Isolada numa destas naves, a heroína do conto tem de travar uma outra nave cuja capitã pretende regressar do hiperespaço à realidade normal com consequências mortíferas para a humanidade.

E se as lulas desenvolvessem tecnologia e tentassem colonizar a superfície terrestre? Não falamos de uma invasão de lulas assassinas a arrasar cidades, destruindo tanques e aeronaves de combate com os seus tentáculo. The Remembered de Karl Bunker é uma fábula encantadora sobre os dramas da exploração, que vai beber ao mito de Perseu e constrói um mundo sólido onde lulas inteligentes ultrapassam os limites submarinos e começam a colonizar terra firme no que é uma metáfora mal velada da humanidade e exploração espacial.

Strigoi de Lavie Tidhar é uma excelente desculpa para este premiado autor nos mergulhar no exótico sistema solar do universo central station. Uma vampira que se alimenta de dados pessoais chega à Terra, recordando as suas divagações forçadas pelo sistema solar desde a fuga adolescente de um asteróide, passando pela transformação vampiresca nos corredores esquecidos de uma decaída nave trans-solar e as desventuras em Titã e nas colónias marcianas. Tidhar levanta o véu sobre este promissor universo que mistura elementos de space opera com fantástico surreal e um niquinho de cyberpunk.

Sem comentários: