domingo, 28 de outubro de 2012

Existence (IV)

"Anyway, for me it always comes down to one question. If you have no ambitions—no unattainable dreams that your heirs might achieve—then what’s the point of intelligence?" (p. 1279)

Brin a misturar o paradoxo de Fermi com o conservadorismo social e tecnológico. Realmente, para que serve olhar para o horizonte se não se tem o impulso de ir mais além?


Sem comentários: