quinta-feira, 28 de junho de 2007

Leituras

BBC | Supercomputer steps up the pace A IBM lançou o Blue Gene/P, um supercomputador cujos processadores são capazes de operações na ordem dos petaflops - mil triliões de operações por segundo. Três vezes mais rápido do que o Blue Gene/L, até agora mais rápida supermáquina informática, o Blue Gene/P destina-se a simular a complexidade das reacções nucleares, permitindo de forma virtual o teste e a manutenção do bem real arsenal nuclear norte-americano.

Agora um resmungo: se a coisa consegue simular explosões atómicas, o que é que faria em renderização de 3Ds?

BBC | Team makes Tunguska crater claim É presença típica em todos os relatos de estranhos mistérios da natureza: a explosão de Tunguska, ocorrida na Sibéria em 1908, que foi sentida em toda a europa e que deixou uma estranha cratera. As hipóteses têm-se sucedido, algumas mesmo muito estranhas - fala-se de um pouco de tudo, desde a colisão da Terra com um microscópico buraco negro até a um exótico acidente com uma nave espacial alienígena (algo tipo "Elvis perde o controle do seu disco voador, e despenha-se numa explosão imensa, Elvis, ser perfeito e superior, ergue-se intocado por entre as chamas nucleares, abandona o local do desastre, percorre o mundo e torna-se o GRANDE ELVIS, génio da música e devorador de multidões ok, pronto, estou a perder o fio à meada). Uma das explicações mais plausíveis envolve o embate de um pequeno asteróide, hipótese reforçada por recentes descobertas de uma equipe científica da universidade de Bolonha (curiosamente, uma das mais antigas da europa) que encontrou indícios que reforçam essa hipótese.

Quanto a mim voto no Elvis. Desconfio que a humanidade não evoluiu, antes elvisluiu, para se aproximar desse ser perfeito.

BBC | One in two will live in cities Uma espada de dois gumes: um relatório das Nações Unidas sublinha o crescimento imparável das cidades, com mais de metade da população do planeta a viver em espaços urbanos já em 2008. O crescimento explosivo das megalópoles continuará, mas será nas cidades pequenas que se acentuará mais o crescimento da população urbana. Agora, está o aviso feito. A tendência é imparável, e está nas mãos dos governos e das instituições modelar esta tendência - o crescimento urbano, se planeado e levando em conta os constrangimentos económicos e ambientais, pode ser um factor favorável. O lado oposto é o alastrar dos bairros de lata que rodeiam algumas das maiores megalópoles do planeta.

Sem piadas, que este não é assunto para levezas.

Guardian | This boom has 80s echoes. We know how that ended Gordon Gekkos do mundo, uni-vos em nome do lucro incomensurável. A recente febre de especulação bolsista a nível mundial, que está a gerar enormes lucros aos investidores e a assegurar uma disparidade impressionante entre os salários dos trabalhadores e os salários dos executivos, é em tudo semelhante à febre dos anos 80, imortalizada em Wall Street, o filme de Oliver Stone. Os anos 80 acabaram mal, com um crash bolsista e uma enorme recessão que ainda dura, e com muitos dos grandes especuladores, como Ivan Boesky, autor de um célebre discurso na universidade da Califórnia sobre os benefícios da ganância e a inspiração directa para a personagem de Gordon Gekko, a maior osga da bolsa de valores, presos por fraude. As lições da história não impedem a humanidade de alegremente repetir os mesmíssimos erros. No fim de contas, se a escolha é entre a justiça social e o lucro puro, sejamos realistas: o lucro é sempre mais importante.

The New York Times | Files on illegal spying show C.I.A. skeletons from the cold war Foram recentemente revelados documentos ultra-secretos que detalham muitas das mais sujas operações de espionagem da CIA nos seus tempos àureos, durante os anos 60 e 70. Aparecem coisas como planos de assassíno de Fidel Castro a protestos de funcionários/agentes por serem obrigados a deixar crescer o cabelo para se infiltrarem entre os hippies (e obrigados a tomar drogas e a fazer love not war, ai que sacrifícios se fazem em nome do dever). Apesar de revelações explosivas, convém registar que boa parte do documento foi censurada. Ainda há mais esqueletos enterrandos e sujidade escondida. A libertação da revelação destes velhos escândalos está também a levantar polémica, com afirmações de que se trata de uma maneira da Agência desviar as atenções sobre os relatos de tortura e masmorras secretas nesta nova guerra suja contra o terrorismo.

Sem comentários: