quinta-feira, 27 de Outubro de 2005

Pausa

O dia não correu muito bem. Depois de uma hora parado no final da auto-estrada, esta manhã, consegui destruir um par de calças com uma malfadada tinta acrílica azul, daquelas que um simples pingo agoira o fim de qualquer peça de roupa. Após um longo dia de trabalho frutuoso mas cansativo, decidi que estava a precisar de uma pausa. Quando chove, os putos ficam com a energia toda concentrada, e nós perdemos a paciência ao aturá-los. Ele há dias... de manhã que nem de tarde se deve sair à noite nem voltar de madrugada...

Sem comentários: