domingo, 1 de agosto de 2021

URL

Esta semana, fala-se do Festival Contacto, dos cinemas extintos de Lisboa, e da adaptação fílmica de Uzumaki. Descobre-se malware anti-pirata, a impossibilidade da ética na inteligência artificial, ou da robótica em contextos médicos. Ainda descobrimos um projeto de crítica literária europeia, as agruras dos primeiros diplomata chineses, ou resquícios de antigos impérios. Outras leituras vos aguardam, nas Capturas da Semana. 

Ficção Científica e Cultura Pop


Pathé, Alfa, King, Monumental… A última sessão dos meus cinemas: Também estes foram os meus cinemas, embora troque o Alfa e o Pathé pelo Apolo 70 e o Quarteto (ah, aquelas sessões da meia-noite, maratonas fílmicas que fazia com um bom amigo). A minha educação cinéfila fez-se no King. O Monumental, novo (tenho vagas memórias de ter visto um filme no antigo e verdadeiramente monumental)já me apanhou na fase da vida em que saí de Lisboa para estudar e trabalhar, foram poucos os filmes que lá vi. Hoje, ainda há muitos locais para ver bom cinema - a Cinemateca, o clássico Nimas, e o insuspeito UCI El Corte Inglès, cuja programação equilibra o comercial com cinema europeu e independente.

Festival Contacto: Atrever-me-ei a escrever que este é um dos mais promissores novos eventos dedicados à cultura do fantástico? O Fórum é a referência, claro, e nos últimos anos diversificaram-se os eventos dedicados, desde os assumidamente comerciais aos independentes. Até colapsar e desaparecer, o Sci-Fi Lx prometia ser um outro grande evento agregador dos fãs e criadores. A organização do Contacto está muito ligada ao lado literário, e tem conseguido estruturar um evento agregador. A pandemia colocou tudo isto em pausa. Talvez regresse este ano, com datas já anunciadas e programa em elaboração (embora suspeite que com o evoluir da situação pandémica em Lisboa, provavelmente tenha que ser novamente suspenso). Como em muitas outras áreas, a pandemia tem sido calamitosa para os criadores e fandom do fantástico, a atividade editorial está muito reduzida (em parte, porque depende do contacto direto com os leitores trazido pelos eventos), os projetos algo silenciosos, e a principal valência destes momentos, o ser um ponto de encontro para os fãs, está em suspenso. Esperemos que a pandemia não se venha a revelar ainda mais devastadora nesta vertente, detestaria que estes eventos desaparecessem e por cá, se regressasse ao deserto cultural nas vertentes do fantástico.

The wraparound cover to ‘The Usborne Book: Em fila ordeira, os robots congregam-se em busca de recursos.

Junji Ito fans, the Uzumaki anime is still on its way! And here is the latest teaser: Ai, que o meu lado fanboy de Ito começa a fazer disparar o coração com palpitações. Apesar de não ser a minha obra favorita deste mestre japonês do terror - claramente, a perversa e horrífica Tomie é que me encanta, bem, fiquemos por Ito em cinema.

Jorge de Sena: sinais de génio e banalidade: Confesso que é daqueles livros que estou constantemente a tentar iniciar a leitura, mas há algo nele que não me prende. 

Re-Evaluating ‘Lord Of The Flies’: Um livro implacável sobre o comportamento adolescente, que apesar de se passar num cenário pós-apocalíptico, descreve bem os comportamentos a que qualquer um pode assistir no recreio de uma escola.

Tecnologia


DevTerm is a portable terminal that might just be the perfect cyberdeck for sysadmins and writers too: Confesso que este computador me seduz, entre o seu lado DIY (ou, sendo específico, requer alguma montagem), e o ser dedicado a texto. Tem um ar tão retro-cool, que é impossível não ficar a pensar no que se poderia fazer com ele.

Discriminator: Um documentário digital interativo sobre o desenvolvimento de tecnologias de reconhecimento facial, que nos leva a refletir sobre os seus impactos, mas também a perceber qual a origem dos dados que treinam os algoritmos.

Computers Predict People's Tastes in Art: Parece magia, mas não é especialmente novidade. É uma aplicação de algoritmos de reconhecimento de padrões a dados recolhdos sobre preferências artísticas.

It’s (Still) Really Hard for Robots to Autonomously Do Household Chores: É o paradoxo de Moravec. O que é simples para nós, é extramente complexo para os robots. O sonho de ter um robot-servente doméstico ainda está muito longínquo.

Algorithmic Cinema in “Incomplete” – Music Video by Dalena Tran & Ash Koosha: Faz todo o sentido aproveitar as valências visuais da inteligência artificial, especialmente nos videoclips, que apesar de serem um meio comercial é onde se pode ser visualmente mais arrojado.

On Algorithmic Communism: A automatização da economia, através do desenvolvimento da robótica e inteligência artificial, deixa-nos com uma escolha social determinante. Podemos concentrar a riqueza gerada nas mãos de uns poucos, ou encontrar formas de a redistribuir, numa sociedade planetária mais justa para todos. Pois, utopias.

Newly discovered Vigilante malware outs software pirates and blocks them: Normalmente, o malware funciona ao contrário. Isto significa que alguém, no lado comercial do software, decidiu passar à ofensiva anti-pirataria usando as armas pesadas do cibercrime. 

El lector de RSS de Google Chrome ya se puede probar en Android: así se hace: Oito anos depois de consignar o  Google Reader, o seu leitor de RSS, ao cemitério de produtos populares que a empresa decidiu enterrar por razões insondáveis, eis que a Google está a fazer regressar uma das mais poderosas tecnologias de disseminação de informação na web, o RSS. Valerá a pena? Confesso que não estou impressionado. Com o fim do Reader, criou-se espaço para outros projetos se afirmarem. Pessoalmente, fiquei fã do Feedly, um excelente agregador de RSS para web e dispositivos móveis (é a ferramenta que me permite fazer estas Capturas), e tendo em conta o cadastro atribulado da Google nesta tecnologia, nem sequer creio que valha o trabalho de a experimentar. 

Facial recognition software used to verify unemployment recipients reportedly doesn’t work well: Da importância da ética na inteligência artificial - perceber que os algoritmos não são perfeitos, podem ter sido treinados com dados enviesados, conceptualmente errados, ou apenas ter erros. Não podemos depender unicamente de automatizações para simplificar sistemas cruciais.

Chinese Pilots Are Also Dueling With AI Opponents In Simulated Dogfights And Losing: Report: Não é só a DARPA que está a investigar o potencial da inteligência artificial no clássico combate aéreo. A Força Aérea Chinesa também o está a fazer, com resultados intrigantes - os seus pilotos humanos, mesmo quando vencem um combate, perdem, porque os algoritmos aprendem e incorporam a aprendizagem nos eventos seguintes. 

It only takes one bit of data…: Da facilidade com que as redes sociais agregam conhecimento sobre os seus utilizadores.

Experts Doubt Ethical AI Design Will Be Broadly Adopted as the Norm Within the Next Decade: Por muito que se discute os usos éticos da inteligência artificial, sabemos que as forças que a dominam - empresas em busca de lucro e governos a promover os seus interesses, não estão particularmente recetivas. Ou seja, vão implementar as soluções que quiserem, e depois lidar com as consequências.

The new medical assistants: Alguns usos da robótica em medicina, da simulação de atos médicos a assistentes cirúrgicos.

Navigating a surprising pandemic side effect: AI whiplash: Quando a pandemia explodiu e quase paralisou a economia, tornou-se óbvio que um maior investimento em automatização com robótica e inteligência artificial era um dos caminhos de recuperação económica. Mas, com a vacinação a fazer sentir os seus efeitos (pelo menos, no mundo ocidental mais rico), há que contar com o fator reação: excesso de digitalização apressada, sistemas ainda muito incipientes, e a recusa em usá-los.

Modernidade


The pinnacle of cartography is the pinnacle of uselessness: Doze mapas da Europa, desenhados de memória por Rem Koolhas e Patrick Doan. Entre a psicogeografia do sonho europeu e a geografia da UE, para celebrar o nascimento de um projeto talvez impossível, a European Review of Books.

The best places to find extraterrestrial life in our solar system, ranked: Haverá vida no sistema solar? Tendo em conta o que hoje sabemos sobre organismos extremófilos, não podemos descartar a hipótese de encontrar formas de vida noutros locais do sistema solar. Não será um processo fácil, claro. Estes são alguns dos planetas e luas cujas condições podem ser favoráveis à existência de formas de vida.

‘A Star Is Born’: The History Of The Asterisk: Uma pequena história do humilde asterisco, o símbolo gráfico que se mantém na escrita desde a antiguidade.

Modern China’s First Diplomats: O choque que pessoas saídas do obscurantismo da sociedade chinesa pós-revolução cultural, fechada e  dogmática, sentiram aquando dos primeiros contactos com a modernidade do mundo exterior foi enorme. Há que apreciar o detalhe dos membros da legação da China na ONU só saírem do seu hotel para se deslocarem à sede da organização. Até os simples passeios estavam proibidos, não fosse as ruas de Nova Iorque estragar a pureza ideológica dos diplomatas chineses.

The Real Problem With Globalization: Uma história sobre globalização, não a dos impérios e rotas comerciais do passado ou a da ganância e promotora de desigualdades de hoje. O artigo olha para o final da II Guerra, para o estabelecimento de tratados mundiais que pretendiam intervenção global para promover prosperidade e democracia.

The Vaccine Donations Aren’t Enough: Ironicamente, não é um problema de financiamento, mas sim de capacidade produtiva. É por isto que retirar as patentes às vacinas contra a covid é um passo importante, porque facilita o alargar da sua produção. É de notar que enquanto a população global não estiver razoavelmente vacinada, o risco de surtos graves que dêem origem a novas mutações fica muito elevado. E essas novas mutações poderão ser resistentes às vacinas que já temos. Estamos, literalmente, no mesmo barco, e manter as regras do costume poderá custar-nos caro.

Afinal tenho mais notas de rodapé nas ciências astronómicas: Notas de um incauto descobridor de corpos celestes.

The last remains of the Spanish empire: Há que apreciar a determinação com que Espanha se agarra a inúteis enclaves na costa marroquina, alguns pouco mais que penhascos com instalações para pequenas guarnições.

Amazon labels millions of unsold products for destruction, new investigation finds: Do absoluto desperdício. O stock não vendido na loja virtual, quer seja novo ou devolvido, acaba na maior parte das vezes por ser destruído, para que o vendedor não tenha de pagar à Amazon para manter um produto que não escoa. À escala global, estamos a falar de milhões de toneladas de produtos destruídos, um perfeito absurdo ambiental e económico.

Elite Afghan troops were left to die in battle with Taliban because their backup was too scared: Afeganistão, esse penhasco onde os impérios caem. Não é um território famoso pelo sucesso das intervenções externas, como a Rússia bem sabe, e agora são os americanos que, para não manterem uma guerra interminável, preparam a sua retirada. Com a consciência de missão incumprida: a intervenção para derrubar o regime talibã (que ninguém em sã mente consideraria um regime aceitável) claramente falhou, dez anos depois não só continuam como força no terreno como estão a conquistar território ao governo afegão. Ou seja, esta história não vai acabar bem, e o relato que o War is Boring cita não é nada surpreendente.

Sem comentários: