segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Comics


Batman #34: Batman vai casar-se, e precisa de ilibar a noiva de um crime que lhe valeu a pena capital. A única forma de o fazer é convencer uma ex-namorada a deixar que a verdade venha ao de cima. Algo complicado quando a ex em questão é Thalia al Ghul. Talvez com espadas a coisa se resolva. Mais uma edição de ação gráfica em ritmo imparável, concebida por Tom King.


The Jetsons #01: Quando a DC anunciou o reboot aos personagens clássicos da Hanna Barbera, deixou logo claro que não ia seguir o caminho de renovação nas continuidades. Wacky Races seguiu um caminho de clonagem de Mad Max versão grand guignol, Dastardly and Muttley foi entregue a Garth Ennis e ao seu humor bizarro sem limites. Jimmy Palmiotti pegou nos Jetsons, mostrando a distopia que reside sob o brilhantismo polido das utopias. Neste reboot, é-nos revelada a origem do futuro airoso da série: um mundo em colapso ambiental, que combinado com o impacto de um asteróide fez subir o nível das águas e afundou as cidades. Um punhado de sobreviventes que se refugia em órbita, deixando para trás milhões de infelizes condenados na superfície planetária. Uma catástrofe que acaba por ser uma boa forma de resolver o problema económico trazido pela automação e inteligência artificial, que tornaria redundante a existência daqueles milhões no futuro utópico. É o que está em evidência logo na primeira tira da segunda prancha, com o patrão de George Jetson a obrigá-lo a fazer horas extraordinárias, ameaçando despedi-lo e passar a usar um robot, enquanto mostra estar demasiado bem informado sobre os pormenores da vida pessoal do seu empregado. Uma vinheta que para mim, apresentou logo o tom da série.

Sem comentários: