quinta-feira, 29 de junho de 2017

The First Immortal



Leo Lukas (2016). Perry Rhodan Lemuria #04: The First Immortal. Rastatt: PMW.

A saga lemuriana adensa-se, com a descoberta de mais naves geracionais a sulcar o espaço. Infelizmente, estão a ser capturadas pelos Akonianos, rivais dos terrestres, o que obriga Perry Rhodan a algumas manobras obscuras para contactar os habitantes das naves e procurar Levian Parron, aquele que já sabe ser imortal, e o arquitecto do êxodo lemuriano. Um personagem que conhecemos bem, e que se revela estar escondido da forma mais visível possível, como um tranquilo académico akoniano que está envolvido no estudo das naves descobertas.

Há mais, claro. Neste volume a questão do paradoxo temporal que tinha sido levantada nos anteriores é completamente clarificada, mostrando que as acções de Levian, a começar pelo êxodo lemuriano, são peças de um intricado puzzle cujo final decorre neste episódio. Num relativamente complexo enredo, percebemos que não há acasos, nem na descoberta aparentemente aleatória das naves geracionais. Tudo culmina numa antiga base onde as Bestas, a ameaça que extinguiu os lemurianos, e contra a qual o êxodo organizado por Levian foi um prevenir desta extinção que os seus contemporâneos não conceberiam existir, por estar ainda no futuro, voltam a manifestar-se depois de milénios de dormência. Há aí uma oportunidade de activar uma arma temporal, capaz de exterminar os inimigos dos lemurianos antes destes sequer existirem, assegurando que a antiga Lemúria nunca se extinguirá... mas também que todo o Perryverso deixe de existir. Afinal, foi a extinção do império espacial lemuriano que, nas suas colónias isoladas, deu origem às civilizações humanóides que constituem o universo de Perry Rhodan. E não só. A temível espécie das Bestas, criaturas criadas artificialmente por cientistas de uma outra galáxia que queriam conter a expansão humana, transmutou-se nos pacíficos mas poderosos Halutianos, um dos quais, velho companheiro de Rhodan, terá um papel fundamental em toda esta história.

No final impossível, o plano de Levian colapsará graças à sagacidade de Rhodan e aos poderes mentais de um mutante lemuriano, escapado de uma das naves geracionais e que se quer redimir pelas acções não intencionais que cometeu em vários planetas akonianos. Mas, por breves parágrafos, todo o Perryverso fica em risco de desaparecer. Sendo uma história de paradoxos temporais, e sabendo que não termina neste episódio, fica no ar a suspeita que o Levian Parron que, no passado, iniciou o êxodo lemuriano terá vindo do futuro para iniciar o ciclo. A ver vamos, nos próximos episódios da saga lemuriana.

Sem comentários: