quinta-feira, 8 de junho de 2017

Exodus to the Stars


Andreas Brandhorst (2015). Perry Rhodan Lemuria 3: Exodus to the Stars. Rastatt: PMW.

Duas linhas narrativas entrelaçam-se neste episódio. Alguns dos companheiros de aventura de Rhodan investigam um misterioso asteróide, que alberga uma base automatizada esquecida cuja inteligência artificial tem como missão exterminar toda a vida não-humana, como artefactos nunca desactivado de uma guerra esquecida. É a parte da narrativa pensada para dar acção ao episódio, mas não funciona, tornando-se intrusiva no desenvolvimento da saga.

Entretanto, Rhodan mergulha num coma profundo, sob efeito de um antigo chip de memória lemuriano. Através deste expediente narrativo somos levados à antiga lemuria e aos primórdios da sua era espacial. Ficamos a conhecer o segredo das naves geracionais, e o porquê da sua criação, sob influência de um personagem imortal que aparece misteriosamente e consegue convencer a civilização lemuriano que a Diáspora pelas estrelas é a única forma de assegurar a sua sobrevivência face a uma tremenda e ainda desconhecida ameaça alienígena. É-nos dado a entender que este personagem ou vem do futuro ou conhece o futuro, introduzindo um elemento de laço temporal que já tinha sido intuído no episódio anterior, com um personagem fugaz que, adormecido durante séculos numa nave lemuriana, é também um velho companheiro de Perry Rhodan.

Sem comentários: