terça-feira, 31 de janeiro de 2017

The Infinity Entity



Jim Starlin, Alan Davis, Ron Lim (2016). The Infinity Entity. Nova Iorque: Marvel

Por si só, Thanos é o típico super-vilão megalómano de comics, que existe apenas para que as suas grandiosas maquinações sejam travadas pelos super-heróis em gloriosas batalhas. Emparelhado com Warlock, no entanto, torna-se algo mais, um resquício do psicadelismo cósmico em voga nos anos 70 do século XX. Jim Starlin é o culpado usual desta vertente, com as suas histórias onde os dois personagens, inimigos com demasiado em comum, duas faces da mesma força cósmica, se cruzam em dilemas verdadeiramente titânicos, para lá da mortalidade, dos limites humanos, em vastas e inimagináveis dimensões do cosmos. Nestas histórias, o foco está num Thanos que, derrotado mais uma vez, é visitado por um avatar seu do futuro que, detentor das jóias do infinito, lhe mostra que o seu destino não terminou com a derrota. Em seguida entramos em dimensões profundamente cósmicas, com um Warlock amnésico a viajar ao longo de todos os tempos, descobrindo que encerra em si todo um universo e avisado peças entidades cósmicas do universo Marvel que as suas acções irão determinar o fim da realidade, enquanto permanece inconsciente, dominado pelo inefável Mephisto, que decidiu usar a ciência para conquistar a nossa realidade. É também uma boa oportunidade de desempoeirar os mais bizarros personagens da Marvel, entre Galactus, o Tribunal Vivo ou a Eternidade.

Sem comentários: