quarta-feira, 30 de novembro de 2016

The Vision, Volume 1: Little Worse Than A Man



Tom King, Gabriel Walta, Jordie Bellaire (2016). The Vision, Volume 1: Little Worse Than A Man. Nova Iorque: Marvel Comics.

O poderoso e hiper-bem educado andróide dos Vingadores decide experimentar levar mais longe a sua prerrogativa de simulacro de humanidade. Constitui uma família, construindo e dotando de memória e personalidade três andróides que serão a sua esposa e dois filhos adolescentes. Muda-se para um subúrbio de Washington e mergulha na normalidade da vida burguesa. Os filhos vão ao liceu, a esposa toma conta da casa, e o Visão passa os dias a lutar contra super-vilões ansiando pelo momento do regresso a casa, do jantar em família e serão tranquilo.

Esta é uma série de ironia fina e subtil. Percebemos, pela premissa, que tudo irá correr mal. Boa parte da ironia segue as vertentes expectáveis, da dissociação entre expectativa e realidade. O medo da diferença, uma vez que por muito que queiram parecer humanos, não deixam de ser robots, e o impacto que isso terá na comunidade que escolheram. A visão clássica da lógica robótica face às incongruências humanas. As idiossincrasias da vida nos subúrbios bucólicos da classe média afluente. Só isto já dá alimento para muitos momentos de humor corrosivo. Mas o argumentista Tom King sobe a fasquia com recorte sangrento e macabro. A vida suburbana tem segredos, e quando estes envolvem criaturas poderosas, podem tornar-se mortíferos. Para aprimorar a coisa, todo o esforço de humanização de Visão começa a rachar quando o contacto com as constantes refilices das ingratas formigas humanas que tantas vezes salvou da aniquilação o levam a fazer uso da sua superioridade.

Sem comentários: