segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Comics


The Hellblazer #01: Mais um relançamento para John Constantine? Refira-se que o último, interessante e muito bem feito, era talvez demasiado arrojado para os gostos mainstream da DC. Este é mais comedido e regressa às origens do personagem, mas não deixa de fazer sentir que há mundo para lá dos comics. Como neste cartucho sobre Hitler e a sua promessa de make Germany great again. Parece o discurso de um certo candidato à presidência americana, não parece?


Weird Detective #03:  A banalidade do policial procedimental cruza-se com o horror lovecraftiano. O detective weird é um ser extra-terrestre que se incorpora como um polícia corrupto que mantém em coma na sua casa, para combater as miscigenações tentaculares entre criminosos de rua e os descendentes decaídos dos grandes anciãos. Imprescindível, para fãs de tentáculos à Lovecraft.


Wacky Raceland #03: Quando anunciaram que a série de desenhos animados Wacky Races (A Corrida Mais Louca do Mundo em português) iria ser revista pela DC, pensei que seria mais um título legacy act revivalista. Aparentemente, não foi esse o caminho seguido. As aventuras infantis dos corredores com as suas loucas geringonças foram revistas como delírio pós-apocalíptico. De desenho animado infantil com o grafismo tão anos 60 característico dos estúdios Hanna Barbera, passou a uma estética inspirada em Mad Max Fury Road e Desolation Alley. Com uma narrativa a seguir o mesmo caminho. Os excêntricos personagens e os seus absurdos veículos passaram a caricaturas insanas com automóveis delirantes controlados por inteligências artificiais. A hipérbole é tão exagerada, tão over the top que sobe bem acima dos telhados.

Sem comentários: