segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Comics


Johnny Red #01: A Titan Comics decidiu ressuscitar um personagem clássico dos comics britânicos, daqueles tipicamente militaristas criados para instilar nos rapazes dos anos 60 os valores heróicos dos combates na II Guerra Mundial. O que distinguia este de muitos outros foi um certo carácter de anti-herói e as suas aventuras decorrerem não nos céus da batalha de Inglaterra ou na França ocupada, mas na Frente Leste. De resto, é o que se espera, o inglês terra a terra que com o seu invencível Hurricane lidera um esquadrão soviético no aniquilar dos invasores alemães. Garth Ennis está aos comandos deste revivalismo, como autor que tem mostrado que sabe caminhar na fronteira entre a estrutura original do personagem e o rigor histórico. Já as ilustrações de Keith Page acertam no ponto.


 Survivors Club #02: Esta aventura de Lauren Beukes na Vertigo está a mostrar-se decididamente bizarra. A segunda parte adensa a estranheza e entra no campo do weird mais puro enquanto mantém a premissa que mescla cyberpunk e terror. É um comic estranho, que ao ler se sente que está escrito com uma sensibilidade mais literária do que o habitual. Algo óbvio de dizer, bem sei, dado que Beukes se afirmou como romancista, mas sublinha uma pouco habitual falta daquela linearidade que se espera num argumento de BD.

James Bond #01: É James Bond, esse anacronismo irrelevante dos sonhos húmidos do machismo e da guerra fria. Mas é Warren Ellis a escrever, o que o coloca no meu radar. Ellis tem afirmado que fugiu da iconografia fílmica do personagem, preferindo centrar-se na sua versão literária original. A ver vamos no que dá, mas certamente que a Berlim que o argumentista tanto invoca vai ser palco de aventuras violentas.

Sem comentários: