quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Comics


 Injection #04: Ninguém gosta de futuros sem uma pontinha de sal, muito menos os futuristas profissionais. Mas acelerar o futuro traz consigo consequências imprevisíveis. Ellis está a construir uma narrativa muito sólida que entre cada inexorável passo nos aproxima de um cataclisma explosivo que apenas intuímos.


Phonogram The Immaterial Girl #01: O regresso desta série de Kieran Gillen é talvez o mais intrigante lançamento das últimas semanas. Phonogram anda vagamente às voltas com os dilemas de feiticeiros sonoros, mas no fundo é uma homenagem pessoal do argumentista à música que mais gosta. Esta nova série promete continuar a levar-nos aos fascínios estéticos da música pop.


Providence #03: Este toque de Innsmouth sublinha a ambição de Moore nesta sua homenagem a Lovecraft. Tem uma cadência lenta e metódica que parece seguir em crescendo a cada edição. O jovem jornalista homossexual com ambições literárias, desgostoso após o suicídio do seu amante, vai mergulhando em profundezas progressivamente tenebrosas ao fazer investigação para o seu primeiro livro. A partir desta premissa somos levados num périplo pelo mundo ficcional de Lovecraft, com a promessa de um horror telúrico a finalizar.


Starve #03: Como é que os produtores dos inúmeros e banais concursos de culinária que entopem os canais televisivos nunca se lembraram de uma destas? Certamente que um MasterChef ou outro da sua igualha seria bem mais cativante para as audiências se para além de cozinharem pratos elegantes e rarificados os concorrentes também tivessem de matar e esquartejar animais em directo na televisão. Quanto, inevitavelmente, com a corrida para a descida do mínimo denominador comum que caracteriza o sórdido e patético mundo dos reality shows, aparecer algum programa onde os concorrentes matem e cozinhem, lembrem-se: leram isto primeiro num comic escrito por Brian Wood.

Sem comentários: