sábado, 17 de janeiro de 2015

Sustos às Sextas


Uma tertúlia old school, que consegiu ser o que se esperava mas também surpreender. Começaria pelo espaço, Palácio dos Aciprestes, um palacete reconstruído com um interior neo-medievalista muito em voga nos anos 40 0u 50 do século XX por cá. Espaço inesperado, perdido no meio do deprimente sprawl suburbano. António Monteiro, cuja erudição sobre o horror clássico é espantosa, acolheu uma sala cheia. Houve um visitar de The Phantom of the Opera de Lloyd Weber, Ana Guimarães recordou-nos um pouco do riquíssimo substracto popular do fantástico nas lendas e tradições. Inclui, para grande surpresa minha, um documentário sobre tradições portuguesas que entre outras recordou o crime da aldeia velha, momento marcante do cruzamento entre superstição e modernidade que deu origem a um livro de Bernardo Santareno e ao surpreendente filme de Manuel de Guimarães, recuperado, se não estou em erro, há dois anos atrás no Motelx. Terminou com a sempre interessante estética fotográfica de Gisela Monteiro na exposição Da Pedra aos Ossos: observações no limiar da infinitude, que recolhe representações escultóricas de caveiras e registos de algumas capelas de ossos do sul do país. Uma apropriada reflexão estética sobre as ars moriendi (e hey, adorei a referência ao Philippe Ariès na apresentação da fotógrafa), a abrir muito bem este ciclo de tertúlias organizado pela Thinkers com apoio da Fundação Marquês de Pombal. Casa cheia, com poucas caras conhecidas, o que é bom, para que não seja este mais um tipo de evento onde os mesmos de sempre vão fazer as mesmas coisas. Apesar de ser bom rever os mesmos de sempre. E suspeito que parte da audiência veio pelo lado da fundação e talvez não repita a experiência. Como observou o João Barreiros, não fazem parte da alcateia. O que não retira mérito à iniciativa. Para o mês que vem há mais. Lá estarei.

(Texto desconexo porque longa semana, sexta-feira a dar aulas de sol a sol a turmas de trinta alunos e alguma excitação pré-impressão 3D. Entretanto, fico com isto para analisar durante os próximos tempos: Memoriamedia - Acervo Viagem ao Maravilhoso.

Sem comentários: