domingo, 9 de fevereiro de 2014

Pequenas recompensas


Olhe, fiz uma torneira. E eu tenho de ver isso, respondi esgotado depois de duas aulas teóricas de muitas histórias à volta da génese do computador, essa coisa que tantos cabelos brancos me dá. Mas não podia deixar de ter paciência para observar e elogiar o trabalho desta minha ex-aluna para quem trabalhar em 3D é um prazer. Até porque é uma delícia observar o cuidado que coloca nos mais pequenos detalhas. É algo que se vai fazendo sem pressas, apenas pelo prazer de criar. E é para mim um orgulho acompanhar este entusiasmo, vendo o gosto que a aluna adquiriu no que aprendeu. Ah, já me ia esquecendo. Se repararem o micro-ondas está também mais completo.

Horas depois, estando eu a monitorizar uma operação de clonagem de sistemas (uma forma muito fácil de reformatar computadores) outra aluna, que terminou recentemente o semestre de TIC, veio falar sobre a avaliação. Quando lhe disse que gostaria de inscrever o trabalho dela no concurso Scratch Challenge disse-me sabe, stor, já instalei o scratch no meu pc. E fui a um workshop de scratch neste fim de semana, no centro de ciência viva. E aprendeste muitas coisas, disse-lhe, elogioso. Não, só nos ensinaram o básico e isso eu já sabia... e eu, o professor que lhe abriu as portas do básico, confessei-me orgulhoso e babado.

Descobri recentemente, ou aliás, fui forçado a descobrir que um grupo de ex-alunos meus de 8.º ano se tem dedicado aos reality shows. Não aos reais, mas a simulações utilizando o jogo The Sims. Replicam cenas de programa e criam as suas galas, animando os personagens de jogo. Mas para mim o melhor é que estão a criar vídeos bem editados, a simular programas de televisão. Um dos alunos responsáveis fez como seu projecto final multimédia um vídeo de ritmo muito forte. Agora percebi onde é que tem treinado as técnicas de edição rápida. Combinam as cenas a criar, capturam, editam e criaram um espaço no facebook e um canal no YouTube. Fiquei impressionado.

São exemplos de alunos que cumprem e justificam os objectivos das minhas abordagens pedagógicas: aprender, criar, utilizar meios digitais para expressar as suas ideias e plantar sementes para ir mais além. Se calhar por si sós lá chegariam, mas gosto de pensar que lhes dei um empurrãozinho.


Para terminar este post tão descaradamente auto-congratulatório, é giro ver que aquele logotipo que fiz há... cinco? seis anos? para a APEB23VP ainda continua a uso. Esta associação de pais está a mostrar um interessante dinamismo que também se nota no espaço digital. Neste momento aposto que ninguém se lembra de onde veio aquela imagem das três mãos cuja ideia era representar o espírito de entreajuda. Também não estou muito interessado em apregoar a autoria. Basta-me saber que a ideia ainda se mantém válida. Estes pormenores, que se vão vislumbrando na informalidade de conversas de intervalo ou acasos da vida digital, são pequenas recompensas que nos animam.

Sem comentários: