quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Ficções

BLIT: Quem diria que foi David Langford (Mr. Ansible e dono de um invejável bom humor literário) a escrever um conto sobre padrões matemáticos gráficos que despoletam psicoses que levam à morte através do falhanço dos orgãos de uem os vê. Algoritmos secretos, caíram nas mãos de terroristas urbanos que de stencil em punho vão causando hecatombes com pequenos actos de pintura de graffitti. Deparei-me com este conto antes do final do século XX (e no venerando Infinity Plus) que hoje ganha novos contornos devido à moda dos códigos QR. Confesso que penso no BLIT sempre que leio mais qualquer coisa sobre QRs ou quando em plena rua deparo com um padrão abstracto criado para ser lido e descodificado ... e também me recorda Invasive, história de Warren Ellis na série Global Frequency sobre um ataque memético, uma mensagem alienígena captada pelo SETI que funciona como um vírus mental para conquistar um planeta através do controle cerebral dos nativos inteligentes.

Migration: Numa colónia libertária, onde leis comunitárias não se aplicam e apenas o mercado livre dita as regras, a captura de criaturas autóctones para venda no mercado interplanetário como animais de estimação é um negócio lucrativo. Particularmente mais lucrativo porque devido a um impulso biológico que as distâncias estelares não conseguem mitigar as bonitas criaturas partem o coração aos seus donos quando se suicidam acidentalmente ao tentar migrar na época de migrações. O fim deste tráfico é trazido por um jovem que, respondendo a um chamamento genético, emigra para a colónia. Produto de uma experiência genética não autorizada, nos seus genes mistura-se ADN humano e de animal alienígena. Conto contundente de Nancy Kress, que debaixo da narrativa ficcional dá ao leitor um poderoso subtexto sobre os excessos do neoliberalismo.

The Hanging Judge: Intrigante variação de um conto clássico de terror sobre um juiz com propensão excessiva para escolher o enforcamento como punição para os crimes que julga. Em vez da Inglaterra do século XVIII, temos futuras colónias nas luas habitáveis de um planeta gigante. Zonas de fronteira, são regularmente visitadas por uma juíza intransigente adepta do rigor ao lidar com criminosos. Raptada por um grupo de habitantes de uma das colónias, aprende da pior maneira como a sua ideologia é aplicada quando as marés da sorte viram. Conto de Kristine Kathryn Rausch. Edição: Oops, afinal o conto que tinha em mente não era o The Judge's House de Bram Stoker mas sim o Mr. Justice Harbottle de Sheridan LeFanu.

Sem comentários: