quarta-feira, 22 de maio de 2013

City of Silence


Warren Ellis, Gary Erskine (2004). City of Silence. Orange: Image Comics

Um Warren Ellis ainda cru e a refinar o seu estilo mergulha-nos nas ideias de futurismo desgovernado, espaço urbano esmagador, choque de futuro e personagens assertivas e desenquadradas dos padrões de normalidade que tanto caracterizam a sua obra. City of Silence é uma espécie de prelúdio a Transmetropolitan com o seu futurismo urbanístico ou Doctor Sleepless e os choques epistemológicos fisicamente disruptivos. Nesta mescla de cyberpunk com policial num espaço urbano futuro que vivem em choques epistemológicos constantes, três personagens mais que humanos formam uma força policial oculta encarregue de silenciar inovações tecnológicas. Num desenvolvimento hiper-acelerado, qualquer inovação poderá ser potencialmente catastrófica e numa tentativa de manter alguma ordem no caos social as autoridades citadinas tentam travar qualquer lampejo de disrupção tecnológico-cultural. Apesar de imunes aos memes virais, os três agentes encarregues do silêncio cultural encontram um inimigo à altura na pessoa de um mago tecnológico, que utiliza os canais de comunicação eléctricos para invocar os demónios infernais. Uma mistura visceral de ideias complexas e futurismo sem limites, ainda em estado cru e sem reflectir a elegância violenta que se tornou a marca da obra de Warren Ellis.

Sem comentários: