sexta-feira, 26 de abril de 2013

Comics


The End Times of Bram and Ben #04: Termina muito bem esta curiosa série que brinca com os pressupostos dos fundamentalistas cristãos. Estamos no fim dos tempos, o apocalipse aproxima-se, os crentes foram arrebatados, e o anticristo anuncia a sua presença na terra. Vários anticristos, e um deles organiza um festival de rock apocalíptico. A grande piada da série está na forma como termina: numa bofetada bem humorada aos fundamentalistas, observa que há mais religiões entre o céu e a terra do que o dualismo da herança judaico-cristã e desmascara os anjos e demónios como apenas mais uns semi-deusecos que fizeram batota para conquistar mais pontos no eterno jogo da fé.


East of West #02: Depois de uma primeira edição explosiva, Jonatham Hickman desacelera o passo desta promissora série. Mergulhamos um pouco mais fundo nesta ucronia futurista numa américa alternativa onde o apocalipse se aproxima, três dos quatro cavaleiros agem ardentemente para apressar o fim dos tempos com a conivência de representantes das nações americanas e a morte age como um cowboy solitário com um propósito muito pessoal.


Fury Max #11 My War Gone By: Atrocidades horrendas em aldeias nicaraguenhas? Corpos decapitados espalhados pelas ruas? Bebés arrancados à barriga da mãe e espezinhados? Num comic da Marvel? Pois, é Garth Ennis a divertir-se com o icónico Nick Fury e a ultrapassar os limites temáticos da editora.


The High Ways #04: A mini-série de John Byrne conclui com a sensação que era preciso mais espaço para esta mini space opera se desenvolver a bom ritmo. A conclusão é apressada e resumida, e dá pena saber que terminou por aqui. O traço de Byrne brilha nas naves espaciais que criou para a série, mas a mania de pontilhar a vastidão do espaço com estrelinhas brancas não foi a melhor das soluções gráficas.


Mind MGMT #10: Alguns dos momentos mais interessantes deste comic não linear de Matt Kindt são os interstícios da história, onde o autor dá asas à imaginação e cria premissas fascinantes com uma ou duas pranchas. Neste mês, a rapariga capaz de invadir sonhos alheios para extrair informações.


Sem comentários: