terça-feira, 2 de abril de 2013

Comics


Think Tank #06: Um comic idiossincrático de Matt Hawkins que é uma divertida reflexão sobre a apropriação militarista dos avanços científicos, ética, sociedade panopticon, ilusão da super-ciência e corrente pensamento estratégico de secretismo e operações com aeronaves robóticas à margem da legalidade convencional. No centro da história está um génio empregado por uma agência secreta para criar as mais avançadas armas tecnológicas. Enclausurado por militares implacáveis, recorre a esquemas bizantinos para recuperar a sua liberdade. O seu mais recente envolve a criação de estirpes virais capazes de eliminar populações inteiras com base nas variações de ADN, uma arma tão perversa que o cientista idealista espera que seja capaz de atingir o seu verdadeiro alvo: a corrupção de uma maquinaria político-militar para quem preocupações éticas não são obstáculos para acções de consolidação de objectivos geo-estratégicos.


Battlefields #05 - The Fall And Rise Of Anna Karkhova: Garth Ennis é um genial argumentista no que toca a comics sobre as guerras épicas que grassaram no século XX. É famoso pelo seu olhar apaixonado e atenção minuciosa aos detalhes. Os seus protagonistas raramente são grandes heróis; antes, Ennis coloca-nos no papel dos soldados regulares, dos pilotos anónimos, dos tripulantes condenados de bombardeiros. Pessoas que com medo cumprem o seu dever e por vezes se tornam heróis acidentais. A série Battlefields, publicada pela Dynamite, é um verdadeiro trabalho de amor à história militar que se centra nas desventuras de personagens que são arrastadas pelos acontecimentos. É também notável por sair do âmbito tradicional deste género de narrativa e olhar para vertentes como o lado soviético da II guerra ou a guerra da Coreia. Surpreendente num género que habitualmente explora as façanhas dos aliados na Europa durante a II guerra.


Witch Doctor Malpractice #05: O oculto visto como doença biológica, demónios como bactérias, criaturas do além como infecções virais e um médico excêntrico que alia a ciência ao ocultismo para livrar o mundo das pragas sobrenaturais. A primeira iteração deste comic surpreendeu pela lufada de ar fresco que trouxe ao género e pelo notório bom humor. Este segundo arco de história é mais rígido, tendo perdido a espontaneidade que caracterizou o arranque e caindo nos lugares-comuns do género. No entanto, a série continua prometedora. Foram introduzidos novos personagens e expandido o universo ficcional da obra. Ao doutor e seus companheiros, um paramédico descrente no sobrenatural e uma criatura especializada em devorar monstros, junta-se uma necro-patologista ao mesmo tempo apaixonada e rival do médico e uma cabala de cirurgiões cujas curas para as maleitas são piores do que os males. Fica a sensação que este Malpractice serve para manter os personagens no radar dos leitores, enquanto se prepara algo mais intrigante e que cumpra a promessa da brilhante primeira edição.


Mister X - Hard Candy: para além do genial Terminal City, Dean Motter assina Mister X, um título influente dos anos 80 para o qual a Dark Horse parece estar a preparar um relançamento. Este Hard Candy surpreende pela brilhante qualidade gráfica, ilustrada num tom retro que vai buscar inspiração à art deco, ao retro-futurismo dos anos 40 e ao grafismo dos anos 50. Este comic é deslumbrante.

Sem comentários: