terça-feira, 30 de abril de 2013

Clockwerx


Tony Salvaggio, Jason Henderson, Jean-Baptiste Hostache (2011). Clockwerx. Bielefeld: Splitter.

Uma série intrigante que cai na categoria iconografia à procura de justificação num argumento. Clockwerx está firmemente ancorado na estética steampunk com uma história sobre robots tripulados na Londres industrial da era vitoriana. O argumento gira à volta da fonte de energia milagrosa que permite aos autómatos moverem-se e as inevitáveis lutas entre facções pelo controlo da energia. Uma, previsivelmente, visa dominar o mundo e apenas um bando de rebeldes engenheiros e pilotos de autómatos os podem travar. A obrigatória batalha final entre robots nos túneis industriais sobre Londres é um regalo visual para os apaixonados do steampunk. Este é um livro que deslumbra pela ilustração. Os autómatos tripulados são delírios de mecanicismo de relojoaria e os cenários mergulham num gótico industrial com sabor a vapor. E a história não passa de uma boa desculpa para delírios visuais.

Sem comentários: