sábado, 17 de novembro de 2012

Comics


Atomic Robo and the Flying She-Devils of the Pacific: bom humor, retrofuturismo e ciência insana caracterizam as aventuras do indestrutível robot atómico criado por Nikola Tesla. Cientistas loucos, criminosos desafortunados e zelotas japonesas com armas secretas cruzam-se nos argumentos de Brian Clevinger, ilustrados com um traço perfeito para robots de estilo retro de Scott Wegener.


Battlefields: The Green Fields Beyond #1: Garth Ennis continua as suas histórias de elevado nível com um tema que lhe é querido. Depois de séries excepcionais sobre a II Guerra Ennis volta-se para a Guerra da Coreia para mais uma série que promete lama, reconstituições fieis de armas, muito acaso e pouco heroísmo.


2000 AD #1809: Brass Sun de Ian Edgington é a melhor série de momento no lendário comic britânico. O traço simples e elegante de I. J. N. Culbard foge aos excessos barrocos que caracterizam o steampunk, mas nem por isso deixa de ser evocativo do imaginário dos mecanismos de relojoaria. A cada edição é desvendado mais um novo mundo do planetário mecânico imaginado por Edgington.


Dial H #06: o absurdo do género de super-heróis é posto a nu pelos excessos imaginativos de China Mièville, que está a levar a premissa de poderes concedidos pelo disco telefónico rotativo a colisão com a história da humanidade.


Flash Gordon Zeitgeist: Eric Trautmann e Alex Ross revisitam um dos mais clássicos personagens da banda desenhada de forma genial. Os argumentos equilibram revivalismo com novas dimensões (digamos que Ming the Merciless e Hitler partilham objectivos) e a direcção artística de Alex Ross transforma as pranchas numa explosão de cor exotismo que homenageiam o traço clássico de Alex Raymond. Este é um dos comics visualmente mais deslumbrantes dos últimos tempos.


GI Combat #06: Os personagens de guerra da DC vão sendo sucessivamente revisitados neste título da DC 52. Depois de revisitar de forma pouco impressionante o clássico Land That Time Forgot agora é a vez de Haunted Tank, ilustrado pelo veterano Howard Chaykin. The Unknown Soldier acompanha todas as edições. Se o projecto é insuflar nova vida nos clássicos, esperemos que corra melhor do que a falhada reedição de Sgt. Rock. Haunted Tank, por enquanto, está a ser bizarro. É o que se espera.


Locke & Key Omega #01: Confesso que quando deparei com este comic não fiquei cativado. Demorei um pouco a perceber o porquê da sua boa fama até que o traço expressivo, rico e preciso de Gabriel Rodriguez e a complexidade do argumento de Joe Hill me agarraram. Agora, sigo fielmente o fim anunciado que se inicia com o primeiro volume de Omega. A capacidade de utilizar as chaves mágicas desaparece com o fim da infância e adolescência e os personagens estão quase a atravessar esse limiar.


The Massive #06: Brian Wood prossegue a viagem pelo sólido futuro próximo distópico que criou nesta série de ficção científica mal disfarçada. A premissa de um navio de activistas ecológicos num périplo pelos mares cujo nível elevado submergiu as zonas costeiras de planeta mergulhado no caos da derrocada económica e social tem espaço para muitos desenvolvimentos. Wood equilibra o passado negro dos personagens (num comentário fortíssimo sobre o poder do dinheiro e das empresas de mercenários que se substituem cada vez mais aos soldados clássicos em operações militares) com um futuro próximo muito plausível onde as catástrofes ambientais representam uma singularidade inversa. O mais interessante de The Massive é que não é uma série pós-apocalíptica. Os acontecimentos sucedem-se nos momentos imediatos aos colapsos sociais, e não num futuro mais distante.


The Manhattan Projects: Talvez o mais surreal comic editado actualmente. A premissa é alucinante: o Projecto Manhattan serviu para ocultar bizarrias místico-científicas coordenadas por um Robert Oppenheimer cuja mente é habitada por múltplas instâncias da sua personalidade. O conceito de cientista louco é levado a extremos absurdos pelo argumentista Jonathan Hickman, que nos mergulha numa surreal história alternativa onde Von Braun é um nazi violento com um gargantuesco braço robótico, o presidente Truman um maçónico que toma decisões com base em rituais orgásmicos, Roosevelt é um super-computador a válvulas ou Fermi um físico nuclear alienígena.

Sem comentários: