domingo, 16 de setembro de 2012

Um bocadinho

Cada um é como é, com as suas aspirações, sonhos, tragédias e dilemas. Mas como diz o ditado, grão a grão se vai enchendo. Uma míriade de gestos individuais pode encerrar a promessa de mudar, de largar a apatia e intervir positivamente na coisa pública. Que é de todos e para todos.

Centenas de milhares na rua contra a troika e o Governo num dos maiores protestos de sempre

Um dia inédito, com gente a sair às ruas em trinta cidades em Portugal e não só. Ainda não vi ou li os comentários e inevitáveis aproveitamentos políticos ou rebaixamentos em nome da vontade de interesses instalados, mas sei o que vi em Lisboa. Arrepiou-me, aqueceu o coração, e deixou-me orgulhoso da minha cidade e do meu país. Apesar de "exilado" no oeste, nunca deixei de me sentir alfacinha.

Lamento é que os desacatos de uma minoria pouco inteligente, cujas acções de revolta cumprem na totalidade os objectivos de quem quer desacreditar as manifestações e descartar os protestos como meras arruaças sem consequências, sejam o que passou na Reuters. E pouco mais vi na imprensa anglo-americana. Malta, um país inteiro saiu à rua ordeiramente. É um bocadinho mais do que arruaceiros em S. Bento. Um enorme, gigântico bocadinho.

Spain and Portugal see big anti-austerity rallies
Clashes as protesters in Portugal demonstrate against tax hikes.

Sem comentários: