sábado, 31 de março de 2012

Ultimate Captain America


Jason Aaron; Ron Garney (2011). Ultimate Captain America. Nova Iorque: Marvel Comics.

Mergulhar no simplismo colorido da mitologia pop do Capitão América é um dos meus prazeres proibidos. Icónico e bidimensional, é caracterizado por linhas narrativas elementares e redutoras, que trazem ao leitor sempre mais do mesmo. Os comics de super-heróis são os hamburguers da cultura popular. O que leva este Ultimate a destacar-se da manada? Uma leve tentativa de misturar uma versão progressista da história contemporânea com a rudimentaridade do personagem. O lendário capitão, super-soldado leal à ideologia libertária, enfrenta um rejeitado, ex-capitão que tortura o capitão américa enquanto o esclarece sobre as atrocidades cometidas pelo governo dos estados unidos pelo mundo fora. Um pouquinho fora do âmbito da infantilidade deste género, mas suavizado pelo facto de as narrações incómodas virem da boca do vilão. Este comic tocou como uma pequena dose de amargura no sabor previsível do hamburguer. De resto, nada mais a destacar. O argumento é previsível e o traço assente na iconografia da Marvel.

Sem comentários: