sábado, 10 de dezembro de 2011

Theories of International Politics and Zombies


Daniel Drezner (2011). Theories of International Politics and Zombies. Princeton: Princeton University Press.

No prefácio a Synthetic Worlds, Eduardo Catronova aponta para uma tradição nas ciências sociais de escolher um tema divertido ou absurdo e fazer um paper aplicando teorias e técnicas de análise metodológica, aliviando o tédio de congressos cheios de comunicações interessantes mas... áridas. No caso de Castronova a coisa resvalou e de possível artigo divertido sobre as economias dos mundos virtuais transformou-se em objecto de investigação e carreira académica.

Drezner aplica o mesmo raciocínio às principais correntes de pensamento e realidades do espectro político internacional, procurando responder a uma simples pergunta: como reagiriam as instituições e responsáveis políticos a uma epidemia de zombies? Sim, estamos mesmo a ver no que vai dar. Liberais e neo-liberais aproveitariam para expandir o sector privado, largar umas bombas atómicas e se calhar, apenas porque já é hábito, invadir um país do médio oriente, progressistas iriam tentar dialogar com as criaturas e encará-las como coitadinhas, construtivistas poriam em causa o próprio constructo teórico do que seria ser zombie ou normal, e a união europeia seria possivelmente devorada enquanto os burocratas de Bruxelas se multiplicariam em reuniões e comités para analisar a análise das repostas a dar ao problema.

Este livro é um divertido ensaio que revê perspectivas teóricas de ciência política à luz da mais improvável das catástrofes. Misto de comédia e análise, consegue despertar alguns sorrisos. Particularmente quando um europeu lê sobre a painful comitology da união europeia.

Sem comentários: