segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Smoke


Alex De Campi, Igor Kordey (2005). Smoke. San Diego: IDW.

Governos corruptos, conspirações sangrentas, organizações que controlam o mundo nos bastidos: num futuro próximo distópico, um assassino ao serviço do governo de sua majestade mergulha fundo numa conspiração ao investigar a morte do seu antigo mentor. Em causa está a luta entre a velha guarda e um aspirante ao controle de bastidores que manipula a OPEP e o primeiro ministro britânico, convencendo-os que a melhor forma de salvar o reino unido de intervenção pelo FMI é orquestrar um falso rapto do representante da OPEP, provocar um bloqueio petrolífero e apostar em futuros a curto prazo dos preços de combustíveis para lucrar enormemente durante a duração do bloqueio.

A premissa é intrigante, e Smoke tem alguns elementos verdadeiramente curiosos, como um grupo terrorista de pessoas obesas que luta pelo direito a operações plásticas que as deixem próximas do ideal de beleza, mas como distopia tecno-urbana é impossível não o comparar a Transmetropolitan, e aí este comic sai a perder. É curiosa a forma inconclusiva como termina, sem querer apontar para novos desenvolvimentos mas, talvez, a reflectir que as maquinarias do mundo vão rodando sem parar e nada, nunca, termina verdadeiramente.

Sem comentários: