quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

The Littlest Pirate King


David B., Pierre MacOrlan, Kim Thompson (2010). The Littlest Pirate King. Seattle: Fantagraphics.

À deriva pelos oceanos debaixo do jugo de uma maldição milenar, a tripulação pirata de um navio fantasma já não encontra nos saques e pilhagens a satisfação para os seus desejos, que se resumem agora a encontrar a morte definitiva num qualquer escolho e repousar nas profundezas oceânicas. Mas nada parece resultar. Não há recife que os afunde, monstro marinho que os devore, navio de grande porte que os abalroe. Curiosamente, o que muda o destino destes tristes piratas é um acto de caridade. Ao salvar um bebé de um paquete caído a pique, os esqueletos fantasmagóricos deixam-se encantar pelo jovem pulsante de vida e, abnegados, depositam-no numa costa para que este deixe o mundo dos mortos amaldiçoados e viva no mundo dos vivos. Como recompensa, são devorados por um gigântico kraken, que lhes satisfaz o sublime desejo de repouso eterno.

Se a narrativa encanta, o traço onírico de David B. e as suas tonalidades obscuras, aqui num elevado surrealismo naturalista reminiscente de Klee, conferem a este álbum uma beleza encantadora.

Sem comentários: