segunda-feira, 7 de novembro de 2011

The Traveler


Stan Lee, Mark Waid, Chad Hardin (2011). The Traveler Vol. 1. Los Angeles: Boom! Studios

Em conjunto com a Boom Studios Stan Lee, das suas veneráveis altitudes, criou novos personagens para comics que aliam o classicismo de um dos mentores da Marvel a uma novidade que não se baseia na exploração de violência e sexualização que caracteriza grande parte das "novidades" do mundo dos comics. Como aparte, note-se que Lady Death - essencialmente uma mulher albina bem proporcionada em fato de banho com aventuras cada vez mais infantis, voltou às estantes num comic feito para ser visto e certamente não lido. Por isso títulos como este The Traveler são refrescantes, sem serem avant-garde nem bleeding edge, mas pelo seu classicismo natural.

The Traveler é uma boa desculpa para Mark Waid, a quem Lee entregou os argumentos, escrever convolutos narrativas sobre coincidências e saltos no tempo que fazem as tiras de möbius parecer rectas tranquilas. Neste primeiro volume, o herói que curiosamente não inventa um nome para si próprio, corre pelo tempo e contra o tempo aparentemente para tentar evitar a sua própria criação, embora no curioso final se revele que tudo o que fez foi alterar levemente o decorrer dos acontecimentos para controlar a sua criação e poder vingar-se do responsável pelo acidente criminoso que o criou a si e matou a mulher que ama. Boa premissa para uma nova série que assenta sobre a viagem no tempo, um dos mais intrigantes conceitos da ficção científica.

Sem comentários: